.comment-link {margin-left:.6em;}

The Sun Green Hills

Conversas de café e outros devaneios...

greendale

quinta-feira, outubro 13, 2005

Miranda do Douro e o Mirandês

-
Remiscências de uma sub-cultura que engradece e enriquece ainda mais a já por si ampla cultura portuguesa e que ganha especial expressão na existência do Mirandês, o único dialecto falado em território nacional, isto para além da Língua Portuguesa... naturalmente.
-

O Mirandês assemelha-se a uma mistura de português e castelhano. É falado no Concelho de Miranda do Douro e nalgumas áreas afins. A sua existência não é novidade, mas o conhecimento que nos chega acerca da realidade sócio-cultural que ali se desenvolve é parco, ou quase nulo. Já não dizia Pessoa que a sua Pátria era a Língua Portuguesa?! Não será um idioma a base de uma verdadeira Pátria, independentemente de, institucional e culturalmente, estar integrado noutra de carácter mais amplo?! Pois creio que sim.. E nessa Pátria construída pela Língua Portuguesa encontramos também, certamente e com orgulho, o Mirandês.

Tenho vivido com uma enorme curiosidade em conhecer Miranda do Douro e em ouvir Mirandês. Especialmente por querer observar pessoas portuguesas a cruzarem o seu quotidiano num outro idioma.

A existência do Mirandês tem sido (re)vitalizada pelas entidades locais, cujas lutas e respectivas medidas como consequência levaram a que, por exemplo, o seu ensino tenha sido oficializado nas Escolas sediadas na área.

Todos os anos ocorrem também festivais de literatura, músicas, cantares e danças em Mirandês, das quais ganham especial relevo os (infelizmente pouco) consagrados "Pauliteiros de Miranda".

A cidade de Miranda do Douro tem no solarengo dia 10 de Julho o seu dia e neste desenvolve muitas destas actividades. Quem aceita desafiar esta jornada?! É só pôr a mochila às costas... e vamos lá conhecer estes Mirandeses de Portugal! É tão importante quanto urgente!

1 Comments:

Blogger Francisco said...

Uma visão enorme e uma imagem ainda mais vasta. Eu já la estou contigo para verificar e gozar o momento. De dia nas ruas a mirar as casas, os monumentos, as pracetas, as pessoas e seus costumes. De noite nas tascas a beber minis e jogar poker de bolso. A ouvir dos velhos as suas pronúncias e com sorte esse fabuloso dialecto ainda mais imperceptível nas tascas por causa do vinho. Nos bares, pela noite dentro, a beber cerveja em pleno convívio com a gente nova dessa secular Miranda do Douro!
Obrigado pela tua extrema sensibilidade que nos leva a ver mais e mais...

2:55 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home