.comment-link {margin-left:.6em;}

The Sun Green Hills

Conversas de café e outros devaneios...

greendale

quarta-feira, novembro 02, 2005



Carta a um amigo:

Uma carta é escrita por muitas razões. Interessa-me falar de uma dessas razões: O colmatar da ausência.

Assim, uma carta é uma conversa que dura o tempo de: um cigarro ser fumado; um caminho palmilhado com olhos de ver; umas férias inteiras; uma noite de penitência entre capelas; um abraço; uma música; um passeio pela praia; um jogo de futebol; a leitura de um jornal; um momento de silêncio; e mais, muito mais.

A carta escreve-se regida pelo que nós temos para dizer? Não. Ela tem vida e vontade própria. Por isso é que o seu tamanho e o que é escrito nunca corresponde ao que nós queremos dizer. Aí, a carta é bela porque deixa de ser um bocado de papel com letras pintadas. A carta escreve-se assim como eu descubro-me.

Prova disto é esta mesma carta, pois tudo o que eu te queria dizer era só: já tenho saudades tuas, amigo.

1 Comments:

Blogger Kata said...

E o que dizer quando uma ausência nos torna mais presentes? será a presença física uma existência real?

o mundo dos sentimentos e do inapalpável é, creio, o que despoleta e justifica a existência. física ou nao... e a forma como (con)vivemos com a saudade expressa-o tão bem!

até já amigo! até sempre!

10:24 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home