.comment-link {margin-left:.6em;}

The Sun Green Hills

Conversas de café e outros devaneios...

greendale

quarta-feira, janeiro 25, 2006

Os Segredos




Tu tens segredos?
Fizeram-me muitas vezes esta pergunta. Sinceramente não menti ao responder que não, repetidas vezes. Não fui mentiroso, pois mentir é dizer o que não corresponde ao que sabes. Talvez tenha sido descuidado, ou no máximo leviano na forma como abordei o acto introspectivo. Ou talvez nem sequer soubesse que existem segredos tão bem guardados que nem sequer tu próprio tens acesso a eles. Talvez seja isso mesmo. E segredo, por exemplo, não é esconder o teu corpo, ou, o que pensas sobre ele, mas sim a essência que o assiste, que é tua e é segredo.
A tarefa não é difícil. Mas ver é fácil. Dá para fazê-lo de variadas formas. Vês de olhos abertos, de olhos fechados. Vês com os ouvidos e com o teu nariz. Vês com a tua pele. Os segredos estão guardados nessas imagens e são impossíveis de ver até que se compreenda os contornos, os limites, os relevos e o espaço das mesmas. E espantoso é ver que os segredos são as próprias imagens. As próprias imagens que depois de redescobertas deixam de ser segredos.
Neguei tantas vezes o meu conhecimento acerca do conteúdo dos meus segredos. E fi-lo sempre sem mentir, como hoje.

1 Comments:

Blogger Kata said...

Oh Xiquito! O corpo, desde que se desvendou o genoma humano, não mais será segredo para ninguém. Os sentidos&sentimentos que lhe dão vida esses sim, como afirmas e bem, são teus e dificilmente desvendados. Mas atenção, lá por o cego não ver não quer dizer que o mundo não existe.

Este teu extraordinário post - que nem nos meus melhores dias o imaginaria - fez-me recordar uma história que guardei e que muita confusão me faz quando a vou buscar ao baú dos recordações. Que, se não me engano, é o mesmo dos segredos! :)

Sabes que já é cientificamente aceite desde princípios do século XX que temos 6 sentidos e não 5 (já para não falar que o Homem, de facto, não tem sentidos... é sensível, algo que é distinto). Esse 6º sentido - desculpem-me queridas amigas - não é a intuição feminina, mas sim a proprioceptividade. A percepção do teu próprio corpo. Algo que te permite saber os seus limites físicos ou onde tens os pés ou as mãos ou até tocar no nariz de olhos fechados.

Pois uma vez houve uma senhora que acordou e não se sentia. Consegues imaginar? Pois, nem ela. Após lhe ser diagnosticado esta inédita doença - que como deves calcular não foi no primeiro dia em que foi ao banco do hospital - teve de passar por um processo de adaptação em que teria de usar as outras vias sensíveis (olhos, ouvidos, ...) para se poder mexer decentemente. Algo tão simples como pegar no filho ao colo era controlado por aquilo que ela via do seu próprio corpo e não pelo que sentia quinestésicamente dele. Ela, simplesmente, não se sentia. No entanto, o corpo não tinha perdido as suas habilidades motoras. É incrível. Esta mulher foi considerada o primeiro ser humano vivo sem corpo. Estonteante.

O seu corpo como o seu maior segredo. O mais difícil de desvendar mesmo e especialmente para ela.

Obrigado por este momento.

Entretanto, mando vir mais uns cafés...

3:09 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home