.comment-link {margin-left:.6em;}

The Sun Green Hills

Conversas de café e outros devaneios...

greendale

sábado, junho 10, 2006

NUNCA É DEMAIS REFORÇAR

Por ocasião do aniversário do irmão Francisco, aqui vai o post número 50 deste blog:


Ser viajante é escutar a música, o vento, o silêncio das estrelas e a essência humana dos lugares, assim como das cidades…
É o constante desfrute dos cheiros e olhares, o contemplar das sombras e esplendores, o saborear das calçadas e dos passos que as preenchem…

Ser viajante é ter já percorrido cada estado da nossa alma e, com eles, o encanto de viver…
É já ter enfrentado – e vencido – os maiores dos temores, que então se tornaram armaduras…

Ser viajante é saber que somos nós o movimento e que o mundo não é mais do que aquilo que lutamos por ver….
É já ter palmilhado milhares de sentimentos, quais cicatrizes de doces feridas que desejaremos para sempre rever…



Assim, juntos, temos saboreado cada uma das jornadas que temos desafiado e que completam, mais ainda, a maior mas mais simples de todas elas, a qual completa hoje mais um ciclo rumo à (e)terna sabedoria!


OBRIGADO XIQUITO! Uma vez mais...

2 Comments:

Blogger Beatriz said...

"É já ter palmilhado milhares de sentimentos, quais cicatrizes de doces feridas que desejaremos para sempre rever…" ... e para sempre procurar num novo lugarejo onde descobrir o que tanto o mundo tem escondido de nós, em paralelo com esse tudo que de nós e sobre nós temos escondido do mundo...

Parabéns pelo blog e pela pertinêcia do tema nesta altura do ano :)

beijinhos

11:21 da manhã  
Blogger Francisco said...

Acordamos um dia e a manhã é clara. Abrimos os olhos, miramos em volta, espreguiçamo-nos, bocejamos, e dão-se uns primeiros passos até à janela. Ouvem-se alguns pássaros: pardais de telhado... um casal de pintassilgos espera nervoso um momento na segurança da calma para voltar ao ninho; e esses milhariços de voos inconstantes que deixam o canto como a chuva, e cai elegantíssimo como serpentinas de muitas cores pelos raios de sol.
Depois sorrimos, mas aí já sabemos que estamos de pazes feitas com isso que é a vida e a arte de viver. Vinícius disse um dia, e eu recordo, que A vida é a arte do encontro. E eu acredito nele. Bom ter-te encontrado, Katamigo, e aos meus outros bons amigos que não esqueço. Anseio pelo etnosur na tua companhia.
Abraço longo até esse momento que está breve.
Obrigado mano.

12:21 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home