.comment-link {margin-left:.6em;}

The Sun Green Hills

Conversas de café e outros devaneios...

greendale

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

Até Já Amic!


Plaza de Espanya. Até hoje, foi sempre o meu ponto de chegada e de partida da capital desse lindo país que é a Catalunya. Dificilmente encontraria melhor local para iniciar uma jornada catalã, do que a recepção que me é proporcionada pela imponência do Montjuic (a fonte, até mesmo se não estiver iluminada, é fantástica). Desço a Paral-Lel até ao número cento-e-picos, para largar a trouxa, e como as horas já iam altas e o Chelsea já está fechado, o Durum (prato típico e oficial da minha Catalunya) do American Snack vai ter que servir de jantar.

Descida para as ramblas feita em passo tranquilo, são apenas alguns quarteirões de distância que valem todos os passos, através do acolhedor Raval (com paragem obrigatória na praça do Macba, a ver os skaters partir a loiça e não só). Dá-se a voltinha da praxe, deitando o olho as montras dos “paquis” repletas de jerseys do Barca (imitações, claro!), pelo meio da multidão de turistas parados a observar os artistas que dão a verdadeira vida á imensa avenida, sempre no sentido descendente, para chegarmos ao monumento com a estátua de Colombo. Para a direita, a zona industrial, para a esquerda estendem-se as praias e Barceloneta, até ao porto olímpico. Mais uma vez, uma caminhada só para duros, mas a valer todos os centímetros palmilhados. Por ali respira-se tranquilidade. E anda-se de calções em Fevereiro!

Do outro lado do espelho, lado oposto ao Raval, fica o bairro Gótico. De longe, a zona mais bonita da cidade, que por vezes dá um arzinho de Portugal, com as ruas estreitas e sinuosas. O Tio Canya – bar castiço, que é um mix entra a saudosa Capelinha e a sede do Bloco de Esquerda - estava fechado, com grande pena minha, mas nada consegue tirar brilho a esta cidade, até porque no Oviso sou sempre bem recebido. Por entre becos e vielas (e a obrigatória passagem na catedral, que ia ficando esquecida desta vez, e no Arco do Triunfo) chega-se facilmente ao Jardim da Cidadela, com aqueles relvados e bancos que convidam a ficar e ir ficando. Fiquei, sentado, a deliciar-me com tudo aquilo que o belo jardim oferece.

Por falar em espaços em que a natureza tem muito para oferecer, Parc Guell é paragem obrigatória para qualquer visitante. Tem que se trepar toda a Gracia (onde podemos encontrar o melhor restaurante “paqui” da cidade) para se atingir o objectivo, mas a vista (e que vista!) é deslumbrante, com o bónus de se poder visitar a casa-museu de Gaudi. De lá vê-se tudo, tudo mesmo, e mais uma vez, a extensa caminhada pela encosta é totalmente recompensada pelo alcançar do objectivo, bem no topo do parque. Coisa que não é, literalmente, para todos, pois a maioria dos visitantes fica-se pela varanda acima do dragão de Gaudi, logo na entrada do parque. Não sabem o que perdem…

Vou saltar a Sagrada Família, La Pedrera e a Casa Battló (isso são coisas de turista…), pois todos já viram, já sabem, já tudo, não é?!? A noite… rambla do Raval, ramblas, bairro Gótico e Raz… claro. O Raz destrói, dá 20-0 a qualquer projecto ou casa que pense ser discoteca… sem chance, tudo óptimo, desde a frequência ao som, ali é tudo nota 10! Até os preços são bem acessíveis, bem mais do que alguns tascos que costumo frequentar. Mas isto é apenas uma espécie de Greatest Hits, é obvio que não consigo explicar aquele mundo imenso em meia duzia de linhas.
Opa, mas eu estou com isto pra quê? Vão lá vocês ver, só ganham com isso!!!

Mas uma coisa não vão poder ter: a turma que me acompanhou (tou fartinho de falar sobre eles...) e os locais que me receberam, que são únicos, os mayores! A querida Patrícia e o culé Jaume são pessoas grandes, impecáveis e o enormíssimo Kata (Gianlucatoni para os amigos mais chegados) é o melhor anfitrião do mundo. Para todos eles, mas muito em especial para o Da Cunha, um grande abraço, já cheio de saudade e com a promessa de um rápido retorno.
Em breve, muito em breve, estarei de volta a Barcelona!

4 Comments:

Blogger Kata said...

A longa caminhada em jeito de subida até ao Parc Guell é a grande metáfora da vida e de qualquer viagem (a própria vida incluída)... O que custa chegar é logo recompensado pelo bem que sabe lá estar. É como andar com os sapatos apertados o dia todo e depois dar frescura aos pés quando chegamos a casa.

Já dizem os antigos que as coisas quanto mais dificeis em atingir são mais valor têm.

Assim o foram estes dias. Longas jornadas que entretanto se tornaram deliciosas. Custava acordar, mas o sorriso estampado na cara era o eixo pelo qual se regia o dia. Custava andar, mas o humor sarcástico - daquele em que os olhos são postos bem de esguelha - foi tónica durante cada minuto.

Agora dói-me o corpo e tenho sono :)Mas estou com a alma lavada e reluzente como não a tinha há muito. É o preço a pagar por viver a felicidade de ter aqui comigo aqueles que são feitos da mesma carne que eu. Custa subir mas sabe bem contemplar a vista aqui do topo.

Também eu fico contente ao ver os "meus" chegarem e comigo partilharem o meu mundo, apesar de este meu mundo ser bem mais apetecível quando os "meus" por cá estão (sem ofender o natural interesse de Barcelona, perante a qual uma nova vénia nunca é demais!).

Grande vigilante, tu manténs o olho bem vivo em relação ao que te rodeia e traças a amizade em linhas de confiança tratando-a sempre por tu. Deste meu mundo já fazes tu parte também. Diariamente. É uma questão de dias e já cá estás. É uma questão de dias e já aí estou outra vez.

Vai dando uma vista de olhos no www.loquo.com.

Aquesta és la teva casa! Tu já ho saps bé!

Una fort abraçada!
Bruno da Cutxa, vulgo Gianlukatoni

3:25 da tarde  
Blogger Kata said...

Uma última nota:

Consta que ainda há malta a tentar sair do Carnaval de Sitges.

heheheh

3:27 da tarde  
Anonymous KaTTarina said...

Nunca me vou esquecer dessa viagem de Sitges. Na verdade, acho mesmo que ainda há gente que nao conseguiu sair de lá...

8:36 da tarde  
Blogger Nuno Sousa said...

epá, já tou farto de Sitges, tirem-me daqui!!!

3:32 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home