.comment-link {margin-left:.6em;}

The Sun Green Hills

Conversas de café e outros devaneios...

greendale

sábado, junho 23, 2007

"Utilizemos a pirotecnía com senso"

Como é por demais sabido pelos caros visitantes que ao longo destes meus dois anos por terras catalãs tiveram a oportunidade - e me deram a felicidade - de vir cá, existe por aqui uma tradição, diria mesmo que uma cultura mitológica, em relação a tudo o que se relaciona com o fogo, sobretudo quando este ocorre sob a forma de explosões.

Assim, podemos encontrar como festa de maior expressão por estas bandas a noite de São João que é precisamente hoje. Lembro-me bem do meu primeiro São João em que acabei por dormir fora porque tive medo de vir para casa. Os olhos já me ardiam e os ouvidos já me doíam de tanta explosão e fogo de artificio de trazer por casa. Era ver os avós a incentivarem os netos para explodirem petardos, grávidas a incendiar cintas rastejantes, casais apaixonados a dançar entre fogueiras. Por estes dias encontramos também grandes tiradas de bom humor, isto quando calmamente tomamos o café numa qualquer explanada e algum engraçadinho se lembra de fazer rebentar um morteirozinho mesmo ao nosso lado... Quando me aconteceu não consegui parar de rir! De facto, a meu ver, Barcelona é nesta noite - e nestes dias - uma cidade em estado de sítio.

O mais curioso é que Barcelona foi também a primeira cidade a ser bombardeada e destruída por alturas da guerra civil espanhola. Ironias da chamada "cultura"...

Bem, mas este post não surge apenas porque quis contar uma história sobre aquele que penso ser o único choque cultural que eu - rapazinho de uma aldeia portuguesa que é famosa pela qualidade do pão - encontrei nesta minha casa de adopção. Deve-se sim ao link de recomendações pirotécnicas que encontrei no site da Câmara Municipal de Barcelona. A capa deste apresenta uma família feliz com os típicos pai e mãe juntamente com os três petizes a explodirem bombinhas de São João. Vale a pena deter-nos um pouco a observar a alegria desta família numa das suas actividades conjuntas. Realmente a grande questão de como se gasta o tempo em família relaciona-se com a qualidade com que este mesmo tempo é gasto.



Gosto especialmente do pormenor do pai a enviar um fogo de artificio para o ar enquanto tem um morteiro na outra mão que por sinal parece estar a incendiar o cabelo da mãe.

Neste livro encontramos também as seguintes recomendações:

- Aconselha-se não guardar nenhum artigo pirotécnico nos bolsos, já que estes podem causar lesões, APESAR DE TUDO, graves.
- Avisa-se que não se podem enviar petardos contra as pessoas.
- Aconselha-se fechar as janelas durante a noite para que não entre nenhum produto pirotécnico em casa.

Recomendações estas que são apresentadas entre outras com um nível não tão surpreendente. De qualquer das maneiras não é a prevenção que é criticável. Do meu ponto de vista, é sim criticável a aceitação desta situação como algo dentro da normalidade.

No entanto, há já uns meses que toda e qualquer dúvida que tinha em relação ao espírito bombástico destes nossos vizinhos catalães ficou dissipada. Tudo porque um caro amigo de visita, um vigilante atento, se deu conta que a palavra "bombeiros" em catalão se diz "BOMBERS"! Hehe! Nesse momento ficou tudo mais claro!

A ver vamos que coisas fantásticas verão os meus olhos esta noite. Para não me meter em filmes decidi passar o São João em casa de uns amigos bascos. É que com estes sei que não terei qualquer tipo de problema relacionado com bombas e, muito menos, com explosões!

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

ahahah! muito engraçado! adorei o parágrafo com que remataste o texto!

rita

7:25 da tarde  
Blogger Vigilant Side-Kick said...

Meu mano, eu bem te avisei que esses gajos não jogam com o baralho todo, a começar nos que deviam fazer a prevenção de desastres. E sim, foi de saudar e muito ponderada a decisão de ir pra casa de bascos em dia de bombas... Aposto que o Ty veio embora com uma lágrima no olho por não ter levado com um petardo este ano!

3:30 da tarde  
Blogger Pedro Tomás said...

Essa dos Bascos sem bombas é de um humor fantastico, é como um gajo ir a Bagdade para encontrar a paz e o sossego!

5:51 da tarde  
Blogger HR said...

Também não deixa de ser irónico um tripeiro adoptivo não gostar do São João, ainda que passado em Barcelona...
Choque cultural oblige?

10:55 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home